quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Sonhos.

Há alguns minutos, eu fiquei pensando em como Deus iria rir de mim, se eu pedisse só metade do que eu precisava. Na verdade, metade do que sonhava. Coisas, que pensadas por um ângulo menor, são tão pequenas. De inicio, pediria pra meu irmão seguir um rumo na vida dele, encontrar qualquer caminho bom. Depois para que a inveja que ronda meu pai acabasse, fazendo com quê as empresas deles, des-lanchassem. E que ele houvesse tempo pra cursar Direito, porque eu sei que ele nunca quis ser Administrador. Ele seria mais feliz e isso me deixaria feliz. Pediria, que minha mãe não fosse tão sem explicação, que ela não vivesse dias tão de TPM e que alguma faculdade de Arquitetura,reinasse aqui em Conquista, porque escreveria ela escondida, depois ela faria a prova e iria cursar e se tornaria a melhor arquiteta que essa cidade já viu. Pediria juízo, muito juízo, pra mim. Sorte também. E mais sol, nos meus sentimentos. Depois, que pensei nesse e em outras tantos sonhos, agradeci, afinal sonhar não paga imposto. E se pagasse, eu estaria lotada de dividas. E fiquei triste. Triste, porque é horrível, quando você pensa em algumas maravilhas e no meio delas há caos. Triste, porque esses meus sonhos são quase irrealizaveis, e não há vontade certa, não há querer certo.Pensei em como a vida poderia ser menos um moinho. Menos caos. Não, não queria que todos os sonhos que um dia eu sonhei, fossem realizados. Mas queria, que minha mãe, meu pai ou meu irmão e até mesmo eu, pudéssemos voltar e plantar alguns desses frutos. Frutos de uma vida... Uma vida futura. Futuro. Frutos que hoje em dia trouxessem um pouco mais de felicidade.Na verdade, não felicidade. Porque acho que essa é um equilíbrio entre mente e coração.Mas poderiam nos trazer satisfação, prazer e principalmente realização. Toda pessoal! E consequentemente, profissional. Eu seria mais feliz. Não teria que ver meu irmão reclamar da vida, das faculdades de medicina do país, do quanto é chato minha mãe estar nervosa. Não teria que vê-la chateada, tão chateada. E ainda mais chateada quando enfrenta todos os alunos. Se ela fosse arquiteta, desenharia, pintaria a vida com as cores que ela tivesse com vontade. Não teria que ver meu pai chegar pra almoçar com a cara fechada, de quem teve um dia horrível e jantar com a cara fechada, de quem teve uma tarde mais horrível ainda. Ele seria advogado, juiz, promotor e iria brigar, argumentar, falar, com toda a facilidade que ele tem. Com toda a mágica. Acho que toda a minha felicidade, seria mais feliz se eles fossem só um pouco mais felizes. Quanta lógica para alguma explicação. Depois de pensar nisto tudo, desisti de sonhar. Sonhar é muito fácil. É só você pensar, e pronto. E pra realizar é uma complicação tão grande. Lembrei-me então que a vida não teria graça sem os sonhos. Sem os sonhos bestas, sérios, sem a vontade que vem junto com eles, sem aquela vontade de ir atrás. E aquela vontade de ir, sem puder, tipo essa que tive.
Meus pensamentos todos foram embolados. Fiz uma perspectiva. A vontade da mudança, do querer, alguns frutos, sementes e sonhos. Devo imaginar, que sonhar é tudo isso. O inverso do inverso do inverso. Fiquei pensando que a vida não valia nada, sem as mudanças. Que a vida, não seria nada, sem os sonhos. Que a vida não seria nada, se não soubéssemos errar, mesmo sendo mudanças para uma vida. E ai conclui, que devemos mudar a partir do erro. E não se lamentar...Talvez, o barato seja isso. Alguns desejos, irrealizaveis. Sonhos, impossíveis. Mudanças, inconquistáveis. A leve certeza de que tudo sempre estará bem!

'Quando você sente que sua vida não vale nada, você tem que se levantar e dar uma olhada em volta, olhar para o céu e quando seus pensamentos mais profundos são quebrados, continue sonhando garoto porque quando você para de sonhar é hora de morrer.E enquanto fazemos nossas partes no amanhã, em alguns caminhos nós trabalharemos e em outros iremos brincar, mas eu sei que não podemos ficar aqui para sempre então eu quero escrever minhas palavras na face dos fatos de hoje e então eles irão pintá-lo, e oh,enquanto eu desapareço todos eles olham para mim e eles dirão: Olhe pra mim! E onde ele está hoje. Quando a vida está difícil você tem que mudar (...)


(E nana, sim é você a garota fantástica! (L))

Um comentário:

  1. eita, morena.. esse demorou de ser postado, né?
    Mas valeu a espera. ( até porque de fantástic não tem nada! eu só percebi que você postou, hoje! acredita? 3 dias depois! oo' )
    Seus textos sempre abordam assuntos incríveis.. você sabe. Eu concordo totalmente quando você diz que a vida seria meio que não seria sem os sonhos.
    E eu acho que seus pais, seu irmão e até você. São felizes do jeito que são. E talvez uma mudançazinha no passado.. poderia mudar tudo. Imagine se seu pai fosse fazer direito em um lado do país e sua mãe, arquitetura, em outro? Talvez eles nem se conhecessem.. São essas coisas da vida. E você deveria saber isso. A vida é como é. Deus escolheu assim e blá-blá-blá.. hahahaha..
    Mas você me entendeu.
    Seu texto tá ótimo, ótimo.

    E valeu pelo fantástica, morena! :D
    beijo.
    A fantástica aqui eres tu, jamelão.

    ResponderExcluir