quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

pensei.

Acordei agora. Olha que estranho, deitei pra dormi as 9:20 pm.
E levanto as 11:20 pm.
O sonho eu não lembro. Só me lembro que o computador tava ligado.
E acordei, vi que estava e vim pra cá.
Agora, estou com insônia.

Assisti duas coisas lindas essa noite de Pe. Fábio na Canção Nova.
E me lembrei, que assim como qualquer outro humano, eu tenho limites.
Sou formada de inúmeros limites na minha vida.
Nasci de um limite. Um limite pelo o qual minha mãe percebeu que não suportaria mais me aguentar na sua barriga. Um limite de espaço. Nasci já, cheia de dores. As dores da contração.
E também nasci chorando. Lembrei de quando era mais nova e minha mãe repetia sempre: Não coloque a mão no fogo que queima. Quem disse que ela estava errada? Muito pelo ao contrário. Ela estava estabelecendo um limite entre minha mão e o fogo. E sim, eu testei pra ver se realmente queimava e não é que queimou. Porque assim como qualquer ser humano, eu, Alice Santana Gusmão, tenho os meus limites. Sou lotada de limitações! E não é errado, NÃO É ERRADO! É uma coisa natural do homem, da mulher, de uma criança.
E limitações existem pra serem formas de aprendizado, de pausa, de atenção.
Hoje, o Pe. Fábio perguntou se a fronteira da Bolivia- Brasil, começava lá ou cá?
Bem... Depende do ponto de vista. As limitações são bem parecidas.
E acho que é isso. Pensei nessas coisas quase ao dormir, dormindo e acordando.
E não precisava ficar chateada, e com vontade de excluir meu blog... Mas coração é coração e como diz Nana: ''Meu coração fala grego e meu cérebro só aprendeu o tailandês, até agora. Eles não se entendem. Meu coração não é burro. Meu cérebro é que não entende ele direito. '' Enfim.
Acho que também vou me lembrar que Deus sabe o que faz, sempre. E que sou formada de carne, ossos e sentimentos, assim como todos os outros. E que estes não foram feitos pra se brincar e iludir, porque hoje, são frutos de luz em minha vida.
BEM, ESTE ASSUNTO ESTÁ ENCERRADO.
PELO MENOS ATÉ AGORA, 12:04 pm.

Good nigth pra vocês e for me.
Espero que agora só acorde amanhã de manhã com a dúvida cruel, se viajo ou não.
Beijos e queijos maracujás. =*


Um comentário:

  1. ai, ai.. as limitações da vida. eu penso como você. Ainda bem que elas existem! São coisas boas e são as limitações que nos protegem, que nos faz sentir adrenalina. Não posso falar muito sobre limites por que.. bom, eu penso como você. :P Mas você pegou no ar o que eu quero dizer.. tenho certeza. HAHAHAHAH.
    Bom.. vou-me indo-me, srt. Gusmão.
    boa noite.

    Ps.: foi, não foi? Qual a decisão para a duvida cruel de hoje de manhã?

    ResponderExcluir