domingo, 15 de novembro de 2009

A saudade já aperta neste peito...


Sempre sonhei em ter uma sala unida, animada e amiga. Esse ano, esse sonho bobo e pequeno não pouco cheio ao meio. Literalmente, eu não tenho uma sala unida, verá lá amiga e animada. Mas irei sentir saudade e alguns dias bons quando lembrar daqueles rostos vou sentir uma nostalgia boba e besta, que irá vir com todos os sentimentos, milhares de sentimentos que sinto por cada rosto que cabe ali. Vou sentir falta... Eles irão sentir falta! Nós iremos sentir falta!
Falta de cadeiras sempre guardadas perto daqueles que alegram cada manhã. Iremos sentir falta de escutar O MELHOR (André) dizendo besteiras, copiando coisas inúteis, contando piada, tantas sem graça, fazendo resenha... Sentir saudades daquela barriga sexy. Vamos sentir falta de Taty, toda boa, entrar na sala. E os gritos? Gerais. Saudade de gritar com o coro masculino 'osa osa osa, Taty é gostosa'. De não aprender nada nas aulas de Espanhol e nas de Inglês? Piorou! Vamos sentir saudade de General Valda entrar na sala, copiar, copiar, sem cansar. Explicar, explicar, sem cansar. E no final? Vamos continuar sempre sem entender absolutamente nada. Ainda acho que Valda e Dimas, foram irmãos na outra vida. Tão parecidos! A única diferença é não há nada que não possa aprender com Dimas. Vou sentir sua falta, parceiro!
Sentir falta de Cris e o feijão, arroz e batata sempre presentes na sua aula. Saudade de Nad, exemplo de moral, ética e cidadania. De Julian(a), aproveite e traga uma caixa de cerveja que eu bebo! Todos os milhares que passaram por nós esse ano.
Sentirei falta de Seu Madruga, das prosas intermináveis, das tantas risadas que já soltei por tua causa, das tantas vaias que eu e todos da sala já te demos... Mesmo você é pessoa única e rara naquela sala. Falta de Erick, o MEU maluco beleza. Esse, sem sombra nenhuma de dúvidas, eu vou levar comigo pro resto da minha vida, dos meus dias, do meu amor. (Eu te amo muito! Adorei ter te conhecido. Obrigado!). Falta do quarteto fantástico do fundo, que já foi quinteto quando eu fazia parte. Agora tenho um oiteto, rs. Que devo quase a minha vida.
Não só porque me acolheram a alguns meses atrás, mas porque os 7 (Bela, Juli, Lara, Gabriel, Kauan, Lua e Erick) se mostraram muito mais do que amigos, serão meus eternos irmãos. E eu serei grata pelo resto da minha vida. Falta de Luiza, bem Luiza, que não falo, mas que não deixo de olhar, sentir e ver se estar bem, não sei porque mas só ver, olhar e sentir me faz um bem imenso. De Sand Jackson, a fã n° 1 de Michael. Tadinha, ficou de luto por tanta tempo (...) Sem contar aqueles outros tantos, os outros 41.
Mas os meus amados e queridos que hoje não se fazem presentes na música brasileira, os Los Hermanos, diziam assim: Todo dia um ninguém josé acorda já deitado, todo dia, ainda de pé, o zé dorme acordado, todo dia o dia não quer raiar o sol do dia, toda trilha é andada com fé de quem crê no ditado, de que que o dia insiste em nascer, mas o dia insiste em nascer pra ver deitar o novo, toda rosa é rosa porque assim ela é chamada, toda bossa é nova e você não liga se é usada, TODO CARNAVAL TEM SEU FIM, e é o fim. Pra que mudar?
Não é mesmo? Pra vocês parceiros de 2009, colegas de sala, amigos e irmãos, SUCESSO NA VIDA! Nós ainda nós encontraremos, algum dia. Em algum lugar... ETERNA SAUDADE!

As pessoas entram em nossa vida por acaso, mas não é por acaso que elas permanecem. (L)

PS: NA FOTO FALTA MUITOS. OS QUE NÃO QUISERAM TIRAR FOTO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário