segunda-feira, 25 de maio de 2009

Diminuir, diminutivo.


Tenho que diminuir os gastos, o tempo vago, que não faço nada, minhas horas intermináveis de sono, a minha grande e tola distração, o tanto que vou à lua, principalmente nas aulas de inglês. Tenho que diminuir as lágrimas expostas - nuas no rosto pálido -, as lamentações das coisas que não acontecerão e que não darão certo. Minha ingenuidade, meu grau irresponsável de sinceridade, a minha insistente e desvairada insanidade, em aulas, no inglês, na vida. Tenho que diminuir as emoções em altos picos – infinitivamente tristes ou alegres -. Dizem que isso é correr riscos demais. Tenho que diminuir o vício de correr riscos demais. O vício de estudar compulsivamente, e ter que escutar de minha mãe que isso não é estudo. O vício em Engenheiros. O vício no computador. O vício da televisão. O vício nos livros. Diminuir a quantidade de pensamentos que rondam minha mente. De manhã, à tarde, a noite toda, a madrugada. Diminuir a minha mente. Tenho que diminuir minhas mãos, que cismam em agarrar, afoitas, a tudo e a todos. Diminuir a quantidade de palavras que se alojam acomodadas – ruins ou boas - dentro da minha boca. E, de minha boca, diminuir o tom da voz, junto com as futilidades ditas por dizer, largadas por aí, sem ter o que fazer em alguma mente ou em qualquer lugar. Tenho que diminuir meus olhares vagos pra tantos seres incertos, minhas inúmeras e teatrais expressões. Principalmente, quando desejo algo.
Tenho que diminuir a quantidade de chocolate, nem como tanto, mais o que eu como, engorda. Tenho que diminuir a quantidade de ovo de páscoa que ainda está guardada. A gordura localizada, algumas medidas aqui e ali. Queria diminuir o meu grau de miopia. Tenho que diminuir, minha paixão compulsiva por filmes e shopping. Minha insana preguiça de ir pra academia, e de acordar de manhã pra ir pra escola. Tudo isso para alongar minha vida. E qual vida se tem, quando se é diminuída? Quando você pensa que diminuir é possível?!As favas com os diminutivos. Tenho, sim, é que aumentar tudo para viver como tem que ser: vivendo. Apenas vivendo. Só isso. Só isso tudo que devo fazer. Nem é tanto... Desejo-me sorte. (Y)

Um comentário:

  1. Linnnnnnnnnda...você não canta mais você me encantaaaa.!
    Tá muito lindo...(L

    ResponderExcluir